Intercâmbio entre países de língua portuguesa discute alimentação mundial

O Brasil teve como representante na 44ª Sessão do grande “Comitê Mundial de Segurança Alimentar”, Silvio Pinheiro, presidente do FNDE“Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação”. O evento ocorrido em Roma no final de outubro de 2017, também contou com a presença de José Fernando Uchôa, diretor de ações educacionais do FNDE e da Coordenadora-Geral do Programa Nacional de Alimentação Escolar – PNAE, Karine Santos, representando o Brasil. Os representantes brasileiros neste encontro discutiram sobre melhores condições da alimentação em todo o mundo, obesidade e desnutrição mundial.

Pinheiro explicou que no Brasil, a alimentação escolar passou por algumas medidas que visam o combate à obesidade das crianças. Houve a proibição de certos alimentos que são considerados ‘obesogênicos’, como sucos artificiais, refrigerantes e outras bebidas que apresentem um baixo valor de nutrição para os alunos. Além disso, embutidos, doces e enlatados também deixaram de ser comprados pelo governo federal.

Os representantes brasileiros no evento também apontaram para a criação do Grupo de Trabalho em Nutrição e Sistema Alimentares, que tem como objetivo o desenvolvimento dos processos entre os países da CPLP – Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, que também busca a garantia do direito que todo o ser humano tem a uma alimentação adequada. Os representantes de Angola, Cabo Verde, Moçambique, Timor Leste, Guiné Bissau, São Tomé e Príncipe e Portugal, tiveram presentes e debateram as ideias. A ocasião foi propícia para o firmamento da parceria entre o FNDE e a FAO – Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação.

Uma lei que obriga a compra de alimentos da agricultura familiar foi implantada em 2009 no Brasil, sendo que deverão ser de garantia no mínimo 30% dos recursos orçamentários destinados à compra de alimentos produzidos por pequenos produtores. Em média, são injetados nas economias municipais US$ 400 milhões em agronegócio familiar. Em outubro deste ano, o FNDE em parceria com o Sebrae, passou a implementar cursos e seminários que irão estimular cada vez mais a agricultura familiar em todo o país. O objetivo desta parceria é proporcionar cada vez mais a possibilidade de pequenos produtores agrícolas se capacitarem e fornecer alimentos às escolas públicas do país.

 

Unidades de conservação federais tem 28% de queda de desmatamento

As unidades de conservação federais registram uma queda no desmatamento de 28% entre os meses de agosto de 2016 a julho de 2017 com um total de 159 km². Anteriormente o período havia marcado 221 km², de acordo com informações do Prodes, o Projeto de Desmatamento e Monitoramento do Desflorestamento na Amazônia Legal, divulgados por José Sarney Filho, ministro do Meio Ambiente na 23ª Conferência das Partes.

Desde de 1997, essa foi 2ª menor taxa em relação às unidades de conservação. Para Sarney, esse número é devido a fortificação do comando e controle na região. Sarney diz que essa era uma queda esperada, pois verifica o poder de polícia dos órgãos federais de fiscalização com uma base financeira, humana, tecnológica, informacional e logística maior.

O estado do Pará registrou uma diminuição de 65% na Floresta Nacional do Jamanxim, o maior registro das unidades de conservação. No Acre, a reserva Extrativista Chico Mendes registrou queda de 36% no desmatamento. “A diminuição também foi mais abundante que o desmatamento em toda a região Amazônica, que foi de 16%, de acordo com informações do Prodes”</i> relata o presidente do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade, Ricardo Soavinski. Segundo ele o desmatamento em unidades conservação federais tem apenas 2,4% de representação do total de desmatamento da Amazônia.

A Noruega, é o principal país doador de recursos ao Fundo Amazônia, na ocasião reconheceu os resultados que o Governo alcançou e se mostrou orgulhosa pela parceria que já dura uma década. O ministro do Clima e Meio Ambiente da Noruega, Vidar Helgensen, disse que não existe dúvidas de que os brasileiros estão se esforçando na questão do clima global. A Noruega encoraja o Brasil para um caminho de conservação florestal.

O Brasil recebeu esforços de caixa para a redução do desmatamento no país. A Alemanha irá enviar 235 milhões adicionais para o Brasil, sendo um pouco mais da metade destinadas ao Fundo Amazônia, que o país vem colaborando desde de 2010. O restante do dinheiro servirá de financiamento de projetos de manejo sustentável das florestas no estado do Acre e Mato Grosso.

 

O presidente boliviano ameaça expulsar diplomata americano do país

Evo Morales, presidente boliviano, está ameaçando expulsar do país o responsável pelos negócios americanos na Bolívia, Peter Brennan, que ocupa o mais alto cargo da diplomacia dentro da embaixada na capital La Paz, acusado de estar do lado da oposição boliviana, conspirando juntamente com eles.

O presidente declarou em um discurso feito aos bolivianos, que se o responsável pela embaixada americana na Bolívia continuar dando recursos para os membros da direita do país, prosseguindo com os planos conspiratórios, ele não irá hesitar em expulsar o diplomata do país.

Peter Brennan, é o diplomata com o mais alto cargo em função na capital boliviana, depois que Evo Morales  expulsou o embaixador americano  Philip Goldberg em 2008, tendo sido acusado também de estar conspirando com a direita do país. Os Estados Unidos desde então, não nomearam outro embaixador para assumir a embaixada americana na Bolívia.

O presidente esquerdista Evo Morales, não explicou os detalhes das ações realizadas por Peter Brennan, mas ele há algum tempo tem sido alvo de diversas críticas, envolvendo as diversas esferas do governo boliviano, graças à sua posição sobre assuntos políticos, como no caso da crise recente na Venezuela.

Ele ainda disse que foi na embaixada americana no país, onde estavam preparando um ataque ao governo boliviano,

O presidente boliviano Evo Morales ainda citou o que aconteceu com o Ministro do Interior do país, Carlos Romero, que foi associado pelos opositores ao proprietário de um clube da segunda divisão de futebol do país, Pablo Ramos, que foi preso por tráfico de drogas depois de investigações dos policiais bolivianos.

A oposição fez denúncias contra o governo, citando a associação dele em ocorrências de corrupção dentro de empresas estatais.

Evo Morales ainda declarou, que os membros da direita não sabem como vão atacar o governo, e que ele acredita que quem ajuda esses opositores nesse ataque, são os membros da embaixada americana no país.

O presidente expulsou também em 2008 a DEA, que é a agência antidrogas e em 2013, foi a vez da USAID que é um programa de ajuda, usando os mesmos argumentos de que existia uma suposta conspiração deles contra o governo.

 

Trabalho sem pagamento é denunciado nas etiquetas da empresa Zara

Em geral quando uma empresa reconhecida no ramo em que atua está descumprindo alguma lei, a sua atuação e a sua imagem no mercado fica comprometida.

A empresa Zara, conhecida por suas roupas mais sofisticadas, em Instambul, Turquia, teve algumas roupas de seu vestuário etiquetadas com avisos dos funcionários para os clientes. Nos recados as mensagens faziam um protesto acerca das condições injustas de pagamento que a empresa estava praticando.

De acordo com a Associated Press, quem estava produzindo as roupas que vieram etiquetadas com os dizeres foi a empresa terceirizada Bravo Tekstil. As informações da agência americana Associated Press confirmam que a empresa teve as suas portas fechadas no fim de semana.

As mensagens de protesto nas etiquetas das roupas alertavam para o atraso de três meses nos salários e reivindicavam direitos trabalhistas. O pequeno texto dizia que o produto que o cliente iria comprar tinha sido produzido por um trabalhador que não recebeu o pagamento por seu trabalho. Os abusos incentivaram os clientes a apoiarem uma campanha para que os funcionários recebessem os seus pagamentos.

A Zara não comete pela primeira vez violações contra os direitos trabalhistas, a empresa tem históricos em polêmicas relacionadas ao trabalho escravo e a danos ambientais. A empresa no Brasil teve que firmar um novo Termo de Ajuste de Conduta (TAC) com o Ministério Público do Trabalho, por razão do descumprimento do acordo que havia sido feito em 2011.

O acordo que foi aceito no mesmo ano foi uma reação às condições degradantes nos serviços da produção de roupas, onde 15 trabalhadores foram encontrados em situações que violam as leis trabalhistas.

Apesar do acordo ser firmado, fiscais do Ministério do Trabalho e Emprego verificaram o descumprimento de algumas cláusulas.

A empresa Zara teve que investir R$ 5 milhões em projetos sociais devido à responsabilidade jurídica da qual estava comprometida ser violada. O documento que foi firmado ocasiona uma carga maior de violação em casos de confirmação de trabalho escravo ou análogo à escravidão.

Em fevereiro deste ano, um termo foi proposto pelo Ministério Público do Trabalho e teve a sua homologação dia 10 de maio, obrigando a rede de roupas a fazer a anotação de contratos nas carteiras dos trabalhadores que tiveram seus direitos desrespeitados.

 

Quem vai substituir Luiz Carlos Trabuco Cappi na presidência do Bradesco?

Com a renúncia de Lázaro Brandão da presidência do conselho administrativo do Bradesco, o atual presidente executivo Luiz Carlos Trabuco Cappi passa a ocupar dois cargos. Como o estatuto do banco não permite, ele terá de deixar a presidência executiva para dar lugar a um sucessor.

O posicionamento do atual presidente

Para Trabuco a instituição apresenta total condições de optar por um nome dentro do atual corpo de executivos e que o calendário de sucessão termina em março. Na ocasião é realizada a assembleia para eleição do conselho de administração do banco. Ele ressaltou que a sucessão é um processo natural, garantindo que ainda não houve a escolha do substituto.

“A Organização fez um trabalho forte de desenvolvimento de executivos nos últimos anos, com inserção internacional”, disse Luiz Carlos Trabuco Cappi. De acordo com o banqueiro, a instituição é “complexa, grande e segmentada” e isso vai refletir na eleição.

Lázaro Brandão, que renunciou para manter a renovação entre as lideranças do banco, continuará no Bradesco como presidente do conselho de administração das empresas controladas pelo banco. Ele lembrou que o nome do substituto de Luiz Carlos Trabuco Cappi tem de ser submetido ao Banco Central 30 dias antes de ser aprovado em assembleia de administração.

Brandão chegou ao banco em 1942 na época em que ainda se chamava Casa Bancária Almeida & Cia. Foram mais de 75 anos dedicados ao banco, o qual ele passou por vários diferentes níveis organizacionais até chegar à presidência executiva em 1981 e a presidência do conselho administrativo em 1990.

Trabuco iniciou a carreira na instituição em 1969 após se formar em pela UNESP em Filosofia, Ciências e Letras. Passou pelo setor de comunicação, comandou a Seguros, e foi vice-presidente antes de chegar a presidência executiva em 2009.

A frente do segundo maior banco privado do país Luiz Carlos Trabuco Cappi foi responsável por conduzir a aquisição o HSBC em 2015. A filial brasileira foi adquirida por US$ 5,2 bilhões em 2015, no que foi considerada a maior transação do ano no país.

Em seus últimos meses Trabuco tem batido na tecla da inovação dos processos do banco, bem como a “alfabetização” dos clientes para que possam utilizar dos recursos digitais oferecidos. Seu substituto também deve ter uma postura semelhante e procurar aumentar o crescimento orgânico da instituição.

Quem vai substituir Luiz Carlos Trabuco Cappi?

Entre os cotados para assumir o comando da organização estão Mauricio Minas. O vice-presidente de tecnologia do banco foi responsável pela revolução tecnológica dentro da instituição e pela criação do Next, banco digital do Bradesco.

Estão disputa Alexandre Glüher, vice-presidente a frente da área de Relações com Investidores; Josué Pancini, responsável pela rede de agências do banco; Marcelo Noronha, também vice presidente e responsável pela área de cartões e banco de investimentos; Octavio de Lazari, da Seguros, e André Cano, de Recursos Humanos.

Outros executivos têm menos chances por estarem a menos tempo na vice-presidência, como Domingos Abreu, que também está entre os indicados.

Notícias falsas são combatidas com contratação de sites pelo Facebook

Depois das polêmicas com a propagação de notícias falsas o Facebook começou a investir em informação verídica. O anúncio da decisão refletiu na contratação de 10 veículos de notícias, entre eles estão “The Washington Post” e o “The Economist”. Esses sites permitirão um acesso limitado a um número de artigos por mês e posteriormente a opção de assinatura através dos sites de notícias.

Essa novidade foi impulsionada para restaurar a credibilidade do Facebook. A empresa tem interesse em manter o seu alto número de usuários informados com notícias verdadeiras e de qualidade, o que ajuda a renovar a percepção de notícias da rede social, antes prejudicada pela propagação de notícias falsas.

Outra solução que vem sendo buscada é a grande quantidade de informação divulgada nas redes sociais que é visualizada por bilhões de usuários que não se tornam assinantes. A nova medida do Facebook visa a otimizar o impacto que a grande divulgação de notícias possuem, atraindo clientes para os veículos de comunicação.

Ainda que os sites tenham acesso aos dados de seus assinantes por meio da rede social, existe um interesse nos dados de quem lê os artigos de maneira gratuita, nesse ponto existem divergências entre algumas empresas e o Facebook.

Inicialmente serão realizados testes com os seguintes veículos “Boston Globe”, o alemão “Bill” e o francês “Le Parisien”. Serão 10 artigos disponibilizados gratuitamente de acordo com os critérios do site, a partir de então os leitores serão incentivados a fazer uma assinatura para continuarem com o acesso à leitura.

Em comunicado o Facebook disse que não receberá nenhuma parte das assinaturas vendidas. No entanto, diversos sites de evidência optaram por não participar do projeto por serem contrários de que a rede social impeça o acesso aos dados dos leitores enquanto não assinam o site.

A decisão do Facebook em trazer informações e notícias de credibilidade gera uma expectativa positiva para os seus usuários. A melhor maneira de reverter as diversas notícias sem fundamentos propagadas pela rede social é atrair os principais sites a divulgarem o seu conteúdo. Os resultados dessa nova estratégia poderão ser vistos com o passar do tempo.

 

Os segredos guardados por séculos da Cidade Proibida na China, agora podem ser visitados pelo público

Resultado de imagem para Cidade Proibida na China

Na construção do conjunto de edifícios da Cidade Proibida, na China, entre os anos de 1406 e 1420, na Dinastia Ming, foram necessários em torno de 500 mil operários. Todos os materiais usados nas obras, vieram de todas as partes do território chinês, sendo que as vigas feitas de árvores que eram necessárias para a construção, levaram cerca de quatro anos para chegarem até a cidade de Pequim. Foram empregados cerca de cem milhões de tijolos e duzentos milhões de ladrilhos nas construções. Depois de quase quinze anos de muito trabalho, ficou pronto o grande complexo da Cidade Proibida, que acabaria sendo decisiva para os séculos seguintes. Todo o trabalho árduo para construir o palácio que iria abrigar o imperador e a sua família, valeu a pena. Com quase seiscentos anos de história, as belas estátuas, pontes, jardins e construções, estão preservadas e são muito bem cuidadas até hoje, em uma área de 700 mil metros quadrados.

Durante todo esse período até o seu último imperador em 1912, foram 24 imperadores chineses. Todo o complexo da Cidade Proibida conta com quase mil construções, onde residiram eunucos, concubinas e serviçais, que serviram durante todo esse tempo à família imperial. O  muro que cerca e protege toda a cidade  possui 3,4 quilômetros e dez metros de altura, e a segurança de todo o complexo era intensa, justificando o nome da cidade e promovendo a separação entre os nobres e os plebeus.

Localizada no centro de Pequim, a Cidade Proibida atualmente pode ser visitada pelo público. A sua entrada principal está localizada na Praça da Paz Celestial. Alguns prédios do Pátio Interno podem ser visitados, já que nesse local ficavam os palácios oficiais e os templos. O Pátio Externo também está aberto para visitação, que é o local onde são encontrados os aposentos utilizados pela família Imperial. O local onde os imperadores foram coroados também não pode deixar de ser visitado, a Galeria da Suprema Harmonia, sendo que nesse lugar também foram realizadas outras cerimônias, como os casamentos imperiais. Outro ponto importante é o Trono do Imperador, onde ele é protegido por uma escultura de dragão bem grande.

O complexo ainda conta com diversas outras atrações, entre palácios e museus. No interior e ao redor de todas essas construções, podemos observar diversas peças de cerâmicas, esculturas em bronze, pinturas e objetos que pertenceram aos imperadores. A arquitetura e as obras de arte são inesquecíveis, sendo preciso pelo menos um dia inteiro para visitar a Cidade Proibida.

Aumentos nos valores de viagem não acompanham baixas em países como o Brasil

Viajar por mais que pareça prazeroso também exige um esforço. Para quem tem uma conta bancária privilegiada o esforço não é tão grande, mas para a maioria um planejamento financeiro juntamente com as promoções é indispensável para garantir bons preços e diversão.

Para o próximo ano pode ficar mais difícil encontrar aquele preço irresistível que faz uma viagem se tornar ao mesmo tempo acessível e confortável. Em 2018, as ofertas podem não ser tão atrativas quantos os almejados pontos turísticos.

De acordo com o 2018 Global Travel Forecast (Prognóstico Global de Viagem em 2018, numa tradução livre), os valores das passagens aéreas terão uma alta de 3,5% no mundo, não tem como escapar, enquanto isso o preço da hotelaria não vai aliviar, será aproximadamente 3,7% mais caro se hospedar.

Os dados são provenientes de um trabalho colaborativo entre a GBTA Foundation (associação de profissionais do ramo de viagens e eventos de empresas) e a empresa de administração global de viagens Carlson Wagonlit. Essa é a quarta edição da reunião dessas instituições.

A previsão é que aconteça um aumento esperado nos valores para a locomoção em terra por todo o mundo de 0,6%, considerando os meios de transporte público, aluguel de carro e aplicações que oferecem um compartilhamento particular de veículo.

Apesar da expectativa de aumento nos preços de maneira global, os viajantes que curtem lugares para economizar não vão perder a oportunidade de aproveitar os preços que prometem uma queda em certas regiões.

O Brasil é um país que apresentará as menores taxas de aumento assim como alguns países vizinhos. As tarifas aéreas terão 0,3% de aumento e -1,2% para o ramo de hospedagem no país. Os países de América do Norte chegam em segundo lugar na classificação de menor aumento, com 2,3% nas passagens de avião.

O resultado dos preços tem uma influência do Brasil, com uma redução para as passagens e diárias em 1,9% e 8,7%, respectivamente. Argentina, México e Venezuela não ficam de fora do baixo aumento, isso quando não apresentam queda nos preços em ambos os setores. Seria uma boa chance de viajar mais pelo país, ou então não perder as baixas dos voos e hotéis na Argentina e México.

 

Algumas das regiões com as temperaturas mais frias do planeta

Existem lugares no mundo em que o frio pode ser extremo, trazendo muitas dificuldades para a vida humana, além da vida vegetal e animal. Alguns dos lugares onde essas temperaturas podem ficar extremamente baixas, durante vários meses do ano são:

Ulan Bator, Mongólia – Esse país apesar de possuir uma grande extensão, tem somente uma população de três milhões de habitantes e a menor densidade populacional do mundo, já que esse país é quatro vezes maior do que o estado de São Paulo. A cidade de Ulan Bator é a sua capital e apresenta uma das mais baixas temperaturas encontradas no planeta. No inverno as temperaturas ficam por volta dos quinze graus negativos e no verão, as temperaturas não passam dos 22°C.

Monte Mc Kinley, Estados Unidos – Esse é o ponto mais alto da América do Norte e é um dos picos mais gelados do mundo. Ele está localizado em uma região central do Alasca e possui 6.194 metros de altura, sendo que as suas temperaturas ficam em torno de 40 graus negativos, tornando a sua escalada uma das mais difíceis do planeta. Esse monte também é  conhecido como Denali,  e no seu Parque Nacional existem rios, lagos e inesquecíveis paisagens que podem ser visitadas e apreciadas, por aqueles que não querem se aventurar em uma escalada no monte.

Oymyakon, Rússia – Esse povoado está localizado a 350 km do Círculo Polar Ártico, em uma região distante da Sibéria. Seus termômetros já chegaram a marcar -71,2°C em 1926, sendo essa a temperatura mais baixa que ocorreu no Hemisfério Norte. Para chegar nessa região é preciso enfrentar diversas dificuldades, como temperaturas médias de 50 graus negativos, que além de congelarem a gasolina dos veículos, fazem com que a região seja deserta. A distância e as estradas em péssimas condições, somente atraem as pessoas mais corajosas.

Estacion Vostok, Antártica – Localizada próxima do Pólo Sul e a cerca de 3.500 metros de altitude, essa estação russa para pesquisas, conta com temperaturas extremamente frias, ficando em média com 56 graus negativos. Mas a temperatura mais baixa registrada nesse local, ocorreu em 1983, quando os termômetros marcaram -89,2°C. Próximo dessa estação está o lago Vostok, que é um dos maiores do mundo e que fica coberto por quilômetros de gelo.

Snag, Canadá – Essa pequena vila fica no oeste do Canadá, e marcou uma das menores temperaturas da América do Norte em 1947, quando os termômetros registraram -63°C. Apenas poucas dezenas de pessoas vivem nessa vila e precisam enfrentar um clima extremamente rigoroso.

Pesquisadores descobrem um método de diferenciar as diversas etnias da África

Apesar da grande maioria das pessoas simplificarem a África como um continente predominantemente de negros, existe uma grande diversidade de tons de pele nos mais de 50 países africanos. Muitos grupos de cientistas se empenham para conseguir criar formas eficientes para efetuar a identificação das diversas raízes étnicas que existem nesse continente, tal informação pode colaborar para descobrir a origem da humanidade.

Pesquisadores da Universidade da Pensilvânia conseguiram desenvolver um método para diferenciar o DNA das diversas “paletas” de pele que compõe o berço da humanidade, além do valor antropológico eles afirmam que esse trabalho pode contribuir na identificação de riscos genéticos específicos de cada tipo dermatológico.

A pesquisa foi publicada na revista Science que explica a razão de alguns habitantes africanos terem uma tonalidade de pele tão “brancos” como asiáticos, ao mesmo tempo em que muitos outros são dotados de uma cor muito escura. Segundo Sarah Tishkoff, principal autora desse trabalho, as mudanças genéticas provêm antes da antiguidade, ela disse que o Homo sapiens contemporâneo evoluiu há 3 centenas de milhares de anos.

Essa equipe de pesquisadores fez uma separação em categorias, levando em consideração a variação de pigmentações africana. Sarah através de um método que utiliza um medidor de cor que trabalha com a reflexão luminosa da pele analisaram mais de 2 mil africanos oriundos de diversas raízes étnicas. Os grupos originários da região do Nilo, localizado no leste do continente, possuem cor de pele mais escura, enquanto os pertencentes ao sul da África possui pigmentação de pele mais clara.

Após esse primeiro método, os pesquisadores trabalharam em amostras de DNA de mais de 1,5 mil voluntários, e assim conseguiram cerca de 4 milhões de polimorfismos de nucleotídeos únicos. Com essas informações eles foram capazes de relacionar as mutações com as diversas colorações de pele. Sarah Tishkoff ressaltou que uma variação dessas mutações se relaciona com a pele clara dos europeus e sul-asiáticos, que ela acredita que surgiram há mais de 30 mil anos.

“… é possível que existisse uma única fonte africana que continhas variantes genéticas associadas com a pele clara e escura…”, disse a pesquisadora.