Fique atento: já saiu o cronograma da próxima declaração do IR

Com o fim de ano, costumamos abrir mais a carteira, festejar e comprar presentes. O ano novo então começa e alguns até “no vermelho” entram, porém, para muitos dos brasileiros, a preocupação não será apenas voltar à estabilidade, ficando com as contas em dia, mas enfrentar o temido “leão”. Sim, a Receita Federal já divulgou o cronograma da declaração do Imposto de Renda de pessoa física deste ano, de 2017. E fique atento, pois o prazo para o envio do documento é até o dia 28 de abril. A quem o entregar após essa data limite, será cobrada uma multa.

 

Os mais apressados pelo acerto anual de contas com o Fisco, no entanto, ainda não poderão nem começar a fazê-lo, pois estará disponível apenas a partir do dia 23 de fevereiro, o programa para a geração da declaração, sendo no dia 2 de março a data em que tem início o período de entrega. Apesar disso, eles informam que já estarão disponíveis para download, a partir do dia 20 de janeiro, os programas auxiliares, de nome “Carnê Leão e Ganho de Capital” e “Rascunho da Declaração”. Este segundo aplicativo servirá para que o contribuinte possa, desde antes, fazer um esboço do documento final a ser entregue, assim evitando os problemas de última hora, não tão incomuns.

 

Mesmo desde agora, já se faz válido lembrar a recomendação que fazem todos os especialistas, de procurar estar bem antes com as documentações e informações necessárias todas em mãos, organizadas. Afinal, na falta de organização, o contribuinte poderá ter problemas sérios, aumentando o risco de cair na malha fina. Inclusive, é preciso ter cuidado no uso do Rascunho de Declaração, conforme alerta David Soares, o analista da multinacional britânica que é líder em softwares voltados para a gestão de pequenos e médios negócios, a Sage Brasil. Ele explica que o rascunho virá já pré-preenchido por alguém que inseriu seus respectivos dados anteriormente. Por consequência, não há assim uma garantia de que esteja tudo certo no preenchimento deste contribuinte aleatório que servirá de exemplo. Então, apresentados os dados preliminares pela Receita, caberá a cada contribuinte que resolver utilizar do Rascunho, ficar devidamente atento se estarão corretos, conferindo e checando tudo, até porque o sistema permite a opção de editar os valores. Segundo ele, “com certeza, será necessário fazer alguma alteração”.

 

Já para preencher a declaração do Imposto de Renda em si, sem ser o referido Rascunho, o contribuinte deve primeiro solicitar os informes de rendimentos no seu local de trabalho e também, caso mantenha aplicações financeiras, nas respectivas instituições financeiras responsáveis. Além disso, precisará também organizar, de preferência desde já, os documentos referentes a transações patrimoniais, como os referentes a possíveis compras de imóvel ou veículo, pois estes devem também ser declarados. E é preciso ser minucioso na declaração, não deixando nada passar, afinal, com os cruzamentos que hoje possui a Receita, considera-se que já saiba de tudo anteriormente, como o saldo bancário do contribuinte e suas transações patrimoniais.

 

Também deve ser lembrado de que não são só essas questões a serem declaradas por muitos, pois os pagamentos de pensões, além das despesas escolares e médicas também devem ser incluídas na declaração, ainda mais aquelas que permitem o abatimento do imposto. E é preciso ter bastante cuidado para entender o que pode e o que não pode ser deduzido, posto que, a exemplo das pensões alimentícias, são dedutíveis para quem paga e tributáveis para quem as recebe. Portanto, atenção nunca é demais, já que cada situação terá seus campos e códigos específicos na declaração. Procure sempre mais informações, caso fique na dúvida. Por exemplo, no próprio site da Receita.

 

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *