China cria polícia ambiental para conter abusos de poluição

A China está revendo suas prioridades quanto ao desenvolvimento sustentável. 2017 será o ano em que será criado no país uma polícia ambiental cuja responsabilidade é controlar o cumprimento de medidas de antipoluição. O anúncio foi feito pelo prefeito adjunto de Pequim, Cai Qi.

O anúncio foi feito durante uma reunião que contou com membros da prefeitura, moradores e jornalistas. Cai Qi enfatizou que existem inúmeros atos de descumprimento de normas devido uma supervisão frouxa e uma vigilância inadequada. As informações são da agência oficial “Xinhua”.

As medidas foram anunciadas pouco antes do registro de um episódio relacionado a poluição que fez a cidade entrar em alerta laranja, segunda escala mais grave de quatro, durante mais de uma semana.

A Polícia ambiental

O Ministério de Proteção Ambiental reconhece que muitas companhias poluentes que atuam na China não reduziram seus índices de poluição, tampouco paralisaram suas atividades quando há alguma sanção ou alerta ambiental.

Até o momento não foram esclarecidas como será a atuação da polícia ambiental, contudo o prefeito ajunto de Pequim informou que ela se encarregará de atividades como a queima de biomassa, incineração de lixo, entre outras. Ele também afirmou que a última central energia que utiliza carvão será fechada após o inverno, promessa antiga que nunca foi cumprida pelas autoridades.

Qi destacou outra promessa antiga: o fechamento de empresas que poluem na capital e a renovação dos padrões para que elas possam poluir menos, além da adequação as normas ambientais internacionais. Devido as queixas da população diante do último episódio de contaminação, a prefeitura anunciou a instalação de equipamento purificador do ar em creches e escolas.

A boa notícia fica por conta da venda de gasolina e diesel reformulados emitir gases mais limpos em Pequim.

Alerta em mais de 20 cidades

25 cidades chinesas do norte, leste e do centro estão em alerta vermelho devido a forte poluição do ar. De acordo com autoridades e a imprensa estatal 72 cidades encontram – se em algum tipo de alerta por conta da poluição. Em Pequim e outras 20 cidades estão em alerta laranja pelo mesmo problema e outras 16 em alerta amarelo.

Uma das regiões mais afetadas foi Pequim-Tianjin-Hebei, no nordeste. Em alguns pontos da região, a poluição chegaram a níveis muito elevados, com concentrações de partículas PM 2,5 (as mais nocivas para) de até 300 microgramas por metros cúbicos. Nível máximo recomendado para áreas urbanas, segundo a Organização Mundial da Saúde.

A região sofre mais por causa dos nevoeiros comuns nessa época do ano. A combinação da poluição com o nevoeiro diminuiu a visibilidade consideravelmente, informou o Centro Meteorológico Nacional chinês. O que causou problemas em aeroportos e estradas de cidades populosas, a exemplo de Chengdu e Tianjin.

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *