Paciente volta a viver 10 minutos depois de ser declarado morto

O caso estranho de um paciente que voltou a viver após ter sido declarado morto chamou a atenção dos médicos que relataram o ocorrido para o jornal The Canadian Journal of Neurological Sciences. Segundo os relatos dos médicos que presenciaram o ocorrido, o paciente havia sido declarado morto há mais de 10 minutos pela equipe médica, mas voltou a apresentar sinais de atividade cerebral.

O nome do paciente não foi revelado pelos médicos, no entanto, os médicos revelaram que o paciente teve os aparelhos desligados no mesmo momento em que outros três pacientes também foram declarados mortos. Os quatro, portanto, foram declarados mortos pelos médicos porque nenhum deles apresentava pulsação e não houve resposta ao estímulo luminoso nas pupilas. Somente um dos corpos apresentou um estado diferente, foi confirmado que o cérebro do paciente emitia ondas cerebrais do tipo delta, que só é emitida pelo cérebro quando estamos em sono profundo.

Dentre os quatro pacientes declarados mortos, três deles já não mostravam mais nenhuma onda cerebral antes mesmo do coração ter parado de bater. Somente um dos indivíduos apresentou ondas cerebrais do tipo delta por 10 minutos e 38 segundos, mesmo após seu coração parar. Os médicos realizaram diversos exames nos pacientes, dentre eles a eletroencefalografia (EEG). Com o resultado do exame, os médicos observaram os eletroencefalográficos dos pacientes e notaram que haviam poucas semelhanças entre os estados de vida e morte dos pacientes.

Um dos médicos declarou: “Houve uma diferença significativa na amplitude do EEG entre o período de 30 minutos antes e cinco minutos após a pressão arterial cessar.” A equipe médica ainda não soube explicar como o fenômeno ocorreu, nem exatamente porque o paciente voltou a viver. Os pesquisadores que estão estudando o ocorrido ainda não descartaram a hipótese da máquina ter registrado um resultado errado no exame, mesmo eles tendo comprovado fisicamente que o paciente já não tinha mais vida.

Ainda existem poucos estudos sobre como funciona o cérebro após a pessoa ser declarada morta, por essa razão os médicos atribuíram as ondas deltas observadas no paciente a um fenômeno conhecido como “ondas de morte”. Esse tipo de fenômeno foi observado primeiramente em uma experiência com ratos, onde eles foram decapitados e 50 minutos após a decapitação eles ainda apresentavam ondas cerebrais. O fenômeno abre um leque para o questionamento de que o coração e o cérebro podem se comportar de forma diferente quando um animal é declarado morto.

Mesmo com as especulações dos médicos, eles ainda relataram que não detectaram nenhuma ligação entre os dois casos, tanto dos ratos quanto do paciente que voltou a viver. Eles relataram que as ondas detectadas no paciente que voltou a viver, não parece ter nenhuma semelhança com o caso dos ratos.

Veja 3 relatos de experiência de quase-morte mais intrigantes.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *