Chesf divulga resultados do 1º trimestre, noticia Marcio Alaor, do Banco BMG

O primeiro trimestre de 2017 registrou saldo positivo para a Companhia Hidroelétrica do São Francisco (Chesf). Durante os três meses iniciais do ano, o lucro líquido auferido foi de R$ 209,7 milhões – no mesmo período do ano passado, havia sido contabilizado prejuízo de R$ 7,6 milhões. O expressivo resultado é proveniente da adoção da Remuneração do Ativo Financeiro da Transmissão (RBSE), referente aos ativos de maio de 2000, não amortizados ou depreciados, das instalações da Rede Básica do Sistema Existente. Entretanto, os valores demonstrados não representam, necessariamente, a inserção imediata de recursos, pois o recebimento dos fundos será realizado a partir das receitas mensais (de transmissão), tendo início no mês de julho, durante o período de oito anos, reporta o vice-presidente do Banco BMG, Marcio Alaor.

No balanço divulgado, a Chesf expôs receita de geração 13% acima do verificado no primeiro trimestre de 2016: saltou de R$ 564,7 milhões para R$ 638,4 milhões. No início deste ano, a Companhia conseguiu decisão judicial autorizando o desbloqueio de valores bloqueados no processo judicial batizado de “Fator K”, o que proporcionou o reinicio de obras consideradas essenciais, por conta da falta de dinheiro em caixa. Sinval Gama, presidente do órgão, anunciou no mês de março, o Programa de Obras e Modernização da Chesf, com projetos que deverão ser realizados até o final de 2018 e deverão beneficiar os nove estados nordestinos. O programa envolverá modernizações e empreendimentos novos, noticia Marcio Alaor, do Banco BMG.

Resultados da Eletrobras

Os números da Eletrobras, subsidiaria da Chesf também foram divulgados. A companhia registrou lucro líquido, no primeiro trimestre, de R$ 1,39 bilhão. A nível de comparação, nos três primeiros meses de 2016, a Eletrobras havia registrado prejuízo líquido de R$ 3,89 bilhões, de acordo com seu último balanço. A alienação das ações da Celg D em cotas societárias, após leilão realizado em novembro passado, causou efeito positivo de R$ 1,52 bilhão nas entradas da empresa, noticia o executivo do Banco BMG, Marcio Alaor. Quando se analisa a receita operacional líquida, o saldo registrado no primeiro trimestre de 2017 foi de R$ 8,96 bilhão. Nos três primeiros meses do ano passado, a companhia havia registrado R$ 6,76 bilhão. O resultado positivo conta com a participação dos ativos de transmissão – que passaram a ser reconhecidos contabilmente – no valor de R$ 1,55 bilhão.

Outro ponto que impactou positivamente os resultados foi a diminuição da reserva referente aos processos judiciais que compreendem empréstimos compulsórios. Ao todo, a redução caiu drasticamente: R$ 2,81 bilhão nos três primeiros meses de 2016 para R$ 142 milhões no mesmo período de 2017. O Lajida (lucro antes de juros, impostos, depreciações e amortizações) foi de R$ 1,41 bilhão, noticia Marcio Alaor, do BMG.

Mudanças na direção da subsidiária

A Eletrobras, desde a posse de Wilson Ferreira Jr, novo presidente da companhia, fomenta uma grande mudança em seu quadro de gestores. Desde o mês de julho de 2016, quando Ferreira Jr assumiu, mais de 70% de seus conselheiros e diretores foram trocados, reporta o vice-presidente do Banco BMG, Marcio Alaor.

 

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *