“Alien: Covenant” não teve o mesmo impacto que o ‘Alien’ original, segundo críticas

Resultado de imagem para Alien: Covenant

A volta de Ridley Scott à saga primorosa que começou em 1979 com ‘Alien: O 8º Passageiro’ não agradou muito os críticos de plantão; “Alien: Covenant” ficou com notas abaixo do esperado em sites como o Folha e El País.

Depois de explicar a existência dos Space Jokeys no longa anterior, “Prometheus”, o aclamado diretor Ridley Scott tinha a missão de revelar, no sexto filme da franquia, como surgiu a forma icônica da criatura assustadora do primeiro ‘Alien’, porém, isso não foi o bastante para evitar que o longa ganhasse duras críticas de alguns sites.

“Ridley Scott possui talento […] depois de realizar sucessivamente três obras-primas, essa genialidade desapareceu”, escreveu Carlos Boyero, para o site El País.

Segundo ele, o diretor, talvez, tenha confiado demais no sucesso comercial de uma criatura mitológica, que acreditou estar legitimado a voltar para as mãos do criador. Isso justificaria a razão pela qual Ridley Scott decidiu por retornar a sua antiga e fascinante obra-prima.

No site Omelete, da UOL, o crítico chama a atenção pelo desinteresse do diretor em seguir as regras do gênero que ajudou – e muito – a popularizar, e afirma que ‘Alien: Covenant’ ficou muito abaixo do filme de 1979 como experiência de horror e claustrofobia.

“[…] as cenas de matança do Alien frequentemente se resumem ao pós-morte e Scott evita se entregar por completo ao sadismo que se esperaria do seu conto moral”, criticou Marcelo Hessel, para o UOL.

O mesmo crítico também disse que a protagonista Daniels (Katherine Watherston) é uma versão recauchutada da destemida Ellen Ripley (Sigourney Weaver), e torceu o nariz para o resto da tripulação que, segundo ele, reagia de forma estúpida ao perigo, metralhando tanques explosivos ou metendo a cara onde não devia.

Houve, também, comparação ao longa “Vida”, trama semelhante a “Alien”, mas tido como mais empolgante, inteligente e que conseguiu surpreender no final, coisa que, para eles, “Alien: Covenant” passou longe, por ser constrangedor de tão óbvio.

A tetralogia foi revisitada por vários diretores, mas segundo críticos, nenhum foi tão bom quanto o primeiro. “Aliens: O Resgate” (1986) foi dirigido por James Cameron, ganhador do Oscar por “Titanic” e “Avatar”. “Alien 3” (1992) teve a mão de David Fisher, o mesmo diretor de “Se7en” e “Clube da Luta”. Já “Alien – A Ressureição” (1996) foi dirigido pelo mesmo diretor de “Amelie Poulain”, o francês Jean-Pierre Jeunet.

“Alien: Covenant” estreou em maio e trouxe Michael Fassbender, James Franco e Danny McBride no elenco.

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *