Especialista dá dicas de como evitar doenças respiratórias em dias secos e de baixa umidade do ar

Resultado de imagem para evitar doenças respiratorias

Mais de 40 dias sem chuvas na capital paulista, o tempo seco prejudica a saúde de pessoas de todas as idades, e resfriado, tosse, sinusite, renite, vão e vem. Algumas dicas simples podem aliviar esses sintomas.

Em dias secos e frio como foi no mês de julho de 2017 na cidade de São Paulo, foi mais difícil respirar levando em conta o impacto da poluição. A capital paulista ficou 44 dias seguidos sem chuvas significativas, e no mês todo de julho a cidade registrou apenas 0,3 mm de precipitações, enquanto a média de chuva para julho era de 46,6 mm.

No dia 27 de julho a umidade relativa do ar na capital paulista era de 30%, considerado o nível de atenção. Isso poderá se repetir nos em dias outros dias do ano, de acordo com o Centro de Gerenciamento de Emergências da Prefeitura de São Paulo. Isto provoca o aparecimento das doenças respiratórias, intensifica os sintomas para quem já convive com sinusite e renite, e a falta de chuva aumenta a concentração de poluentes no ar.

“O nariz tem três funções: aquecimento, filtragem e umidificação do ar. Quando o ar está em uma situação muito inadequada, o nariz tem que trabalhar mais para que esse ar fique condicionado de uma maneira adequada para o pulmão realizar as trocas gasosas. Os poluentes são extremamente irritantes para o nariz, eles geram uma inflamação de base”, diz a otorrinolaringologista, Maura C. Neves.

Entre as dicas para diminuir os desconfortos provocados pelo ar seco estão:

Beber muito líquido;

Manter uma alimentação saudável;

Evitar a exposição prolongada por mais de 30 minutos ao ar livre entre 10h e 15h;

Evitar ter no quarto e em outros ambientes da casa, carpetes, pelúcias e poeira acumulada em móveis e enfeites.

A lavagem nasal também ajuda muito: “O uso de soluções salinas e soro fisiológico para a irrigação nasal, ajuda o nariz a umidificar o ar. Então ele umidifica mais a mucosa nasal, ajuda na remoção desses poluentes que foram inalados e facilita a funcionalidade do nariz”, diz Maura. Mas em relação as crianças e pessoas idosas, qual seria a melhor maneira de evitar os malefícios de dias secos e de pouca umidade atmosférica?

“Em dias secos com baixa umidade do ar, é inevitável que crianças e idosos fiquem vulneráveis a doenças respiratórias, mas é possível que pequenas atitudes ajudem a evitar complicação dessas doenças e até mesmo evitá-las em muitos casos. No caso das crianças, os pais devem ficar atentos na alimentação que hidrata, que são as frutas e legumes e introduzir esses alimentos de forma assídua na alimentação delas”, diz Maura.

“Na verdade, essa dica vale para todos, mas em especial para as crianças e também para os idosos, que têm esta vulnerabilidade principalmente em ambientes como o da cidade de São Paulo em dias frio e de ar seco”, reforça Maura.

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *