Felipe Montoro Jens informa sobre processo licitatório do projeto Piauí Conectado

A expectativa apresentada pela Superintendência de Parcerias e Concessões (Suparc) do Piauí em relação à licitação da Parceira Público-Privada (PPP) para a ampliação da rede de fibra ótica no Estado era de que o processo viesse a ser finalizado até o final do mês de novembro de 2017. O “Piauí Conectado”, como é chamado, teve sua primeira etapa da licitação concluída em 30 de outubro.

Felipe Montoro Jens, especialista em Projetos de Infraestrutura, informa, que, na data mencionada, a empresa Globaltask Tecnologia e Gestão juntamente com o consórcio Linkintel, formado pela Fortel Fortaleza Telecomunicações e a Intelit Processos Inteligentes, entregaram suas propostas no Centro Administrativo do auditório da Secretaria Estadual de Administração e Previdência (SeadPrev) localizado na Zona Norte de Teresina.

Para a Suparc, a contratação levará cerca de um mês para ser finalizada, contando com o apoio da Agência de Tecnologia da Informação do Piauí (ATI) para a análise detalhada da documentação entregue pelas empresas interessadas.

As propostas entregues serão julgadas de acordo com a modalidade de concorrência pública, combinando os critérios “menor valor de contraprestação mensal” e “melhor técnica”, onde ambos os tópicos terão o peso de 50% cada, como reporta Felipe Montoro Jens.

A Superintendência do Piauí divulgou uma nota dizendo que “Assim, será selecionada a proposta mais vantajosa para a celebração do contrato de Parceria Público-Privada, na modalidade administrativa, para a construção, operação e manutenção de infraestrutura de transporte de dados, voz e imagem, incluindo serviços associados para o Governo do Estado de Piauí”, relata o especialista em Projetos de Infraestrutura.

Seguindo as previsões do Governo do referido Estado, a PPP tem como objetivo contemplar 98 cidades com a instalação de 5.000km de fibra ótica nesta região localizada no nordeste do país. O projeto conta com a criação de 1.500 novos pontos de acesso com uma capacidade de 60 gigabytes. Felipe Montoro Jens salienta que, com esta iniciativa, é esperado que o Piauí deixe a penúltima posição ocupada na lista de classificação que mensura a inclusão social brasileira.

Conforme informado por Felipe Montoro Jens, a superintendente de Parcerias e Concessões, Viviane Moura, esclareceu que o objetivo principal desta parceria não é permitir que os habitantes da região tenham acesso grátis a internet, mas, sim, viabilizar uma otimização na prestação de serviços em órgão públicos através da rede. Viviane revelou que a população também poderá usufruir do acesso rápido e de alta qualidade oferecido pela rede. Basta que os interessados firmem contratos com provedores privados, “…mas isso não é o Governo quem vai pagar”, enfatiza a gestora.

A superintendente explicou ainda que a PPP contará com investimentos da concessionária e não do Governo Estadual. O capital empregado é privado e o foco estará no serviço prestado e não apenas na obra propriamente dita. A remuneração da empresa vencedora do processo licitatório será originada por meio da prestação de serviços, conforme as cláusulas estabelecidas no contrato, informa Felipe Montoro Jens.

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *