Foram descobertas na Guatemala sessenta mil edificações maias

Um equipamento de última geração, identificou cerca de sessenta mil edificações maias localizadas na região norte da Guatemala. O escâner conseguiu detectar essas estruturas que estão sob o solo e matas fechadas, segundo informações dos pesquisadores e de autoridades do país.

As notícias sobre as descobertas vêm ocorrendo nos últimos dois anos e os cientistas contaram com equipamentos de tecnologia Light Detection And Ranging (LiDAR), que através de sensores instalados em uma aeronave, conseguiram averiguar cerca de 2,1 mil km² de um estado chamado El Petén, localizado em uma região que faz fronteira com Belize e México, segundo o pesquisador americano Marcello Canuto, um dos responsáveis pela pesquisa em uma coletiva de imprensa.

Entre as estruturas que foram descobertas estão centros urbanos, com casas, terraços, calçadas, núcleos de eventos, fortificações e canais de irrigação, entre várias outras edificações, segundo o arqueólogo Canuto, da Universidade de Tulane, localizada em território norte-americano.

As medidas e as composições dos mapas foram realizadas com base em nove sítios arqueológicos e regiões próximas, que foram analisados pela PACUNAM (Fundação Patrimônio Cultural e Natural Maya), uma organização que possui financiamento da iniciativa privada guatemalense e de doadores de outros países.

A pesquisa também revelou onde está localizada uma pirâmide com 30 metros de altura, que tinha sido apontada como uma serra e que fica em Tikal, considerado o mais importante sítio arqueológico da Guatemala. Foi encontrado nessa região um sistema de fosso e uma muralha com cerca de quatorze quilômetros de extensão.

De acordo com Canuto, os equipamentos de última geração que foram usados, permitem visualizar o que existe por baixo de toda a vegetação, sem precisar cortar as árvores e que promove uma revolução, na descoberta dos sítios arqueológicos do povo maia.

Esse sistema LiDAR conseguiu identificar em um período muito pequeno, diversas descobertas que teriam levado muitas décadas para serem encontradas, se fossem seguidos os métodos usados na arqueologia convencional.

A pesquisa revelou que essas regiões baixas que foram habitadas pelo povo maia, devem ter abrigado uma população com cerca de dez milhões de pessoas. Essas estimativas são muito maiores do que as que foram feitas por estudos anteriores.

Segundo o diretor Jorge Mario Chajón, do Instituto Guatemalteco de Turismo, as descobertas mostram que a Guatemala é o centro do mundo maia.

A  rica cultura maia  se espalhou por diversas regiões, que hoje englobam os territórios onde estão a Guatemala, Belize, México, Honduras e El Salvador.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *